terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Together Forever - Capítulo 11 " Vamos com calma ta?"

"Baby, baby, I can hear the wind whipping pass my face, As we danced the night away, Boy your lips taste like the night of champagne, As I kiss you again, and again, and again, and again" - Love On Top (Beyoncé)




-Chris, eu percebi uma coisa hoje, e quero te contar. –disse me levantando e ficando frente a frente com ele.

- E o que seria? –perguntou se aproximando de mim.

- Eu..eu ainda te amo. –disse olhando diretamente em seus olhos. E ele novamente abriu um lindo sorriso.

- E então, por que você ...-disse ele enquanto colocava a mão na minha cintura e me puxava de encontro ao seu corpo, quente e macio.- ...não me beija agora, e me deixa te mostrar o quanto que também te amo? –disse ele enquanto aproximava nossos lábios. –E pode ter certeza, que eu te amo, te amo muito. E assim ele encostou levemente seus lábios no meu. Coloquei minhas mãos em seu pescoço o trazendo mais pra mim, ele sorriu e assim nos entregamos ao beijo, um beijo cheio de saudades, e de amor.

[...]


A sensação de sentir o gosto dos seus lábios me fez relembrar de tudo o que vivemos juntos, todos os momentos, e todas as sensações que ele me proporcionava. Eu realmente amo esse homem, amo muito.

O beijo começou a se tonar intenso e Chris foi abrindo os botões do meu casaco, mas sem desgrudar nossos lábios. Ele passou seus beijos para o meu pescoço e suas mãos subiram de minha cintura para meus ombros e foram abaixando o meu casaco e alisando a minha pele ao mesmo tempo, parecia que por onde sua mão passava me trazia a sensação de ter minha pele pegando fogo. Assim que o meu casaco foi para o chão, Chris foi me guiando em direção a cama com as mãos em minha cintura, segurando firmemente.

Perae.. Eu vou transar com o Chris?!?! Ainda noiva de Liam?

Parti o beijo com selinhos e encarei os olhos de Chris, que com a luz da lua que vinha pela janela, se tornavam ainda mais brilhantes.

- Vamos com calma ta? –perguntei  passando as mãos carinhosamente por seus braços, e sem conseguir desviar os olhos dos seus. Ele suspirou, me puxou mais contra o seu corpo, ainda sem deixar de me encarar e me beijou novamente, dessa vez mais era um beijo mais calmo, porém eu consegui perceber o quanto ele me amava, assim como eu o amo.

- Eu espero o tempo que você quiser, princesa. – ele disse assim que terminamos o beijo. Se afastou um pouco e me olhou de cima a baixo. – Só que com essa roupa fica meio difícil né? – ele perguntou com um sorriso torto nos lábios e soltando um riso pelo nariz, seus olhos brilhavam ainda mais.

- Como assim? Do que você ta falan... – parei de falar assim que percebi que estava apenas com um blusa preta de manga cumprida justa e de calcinha, também da cor preta. Eu tava com essa roupa antes? Por que eu não troquei de roupa mesmo?

Assim que encarei os olhos de Chris novamente minhas bochechas coraram violentamente, ele riu e veio me abraçar novamente.

- Fica tranquila, continua linda, igual antigamente. – ele disse, eu dei um tapinha no seu braço.

- Idiota. – disse escondendo o rosto no seu peito, escutando a sua risada. Foi impossível não rir também, eu amo a risada dele, é contagiante, e parece que ilumina tudo a nossa volta.

- Um idiota que você ama. – ele disse, fazendo eu me afastar e encará-lo indignada.

- Um idiota que vai levar uns tapas, isso sim. – disse colocando as mãos na cintura, fazendo ele gargalhar.

- Isso bate, bate mesmo, Ahhh adorooo. –disse ele fingindo gemer. Comecei a rir.

- Para de ser idiota Chris, vamos dormir logo. – disse pegando na sua mão e o levando até a cama comigo.

- Tudo bem, parei. – disse ele levando as mãos em forma de redenção e logo depois se jogando na cama e me puxando junto, fazendo com que eu caísse em cima dele.

- CHRIS!

- Ahh Mel, fica quietinha ai e vamos dormir. – disse ele me abraçando fazendo com que eu ficasse presa em cima dele, e fechando os olhos. Suspirei me dando por vencida e me acomodei em cima dele.

- Boa noite Chirs. – disse depositando um selinho em seus lábios e logo vendo um sorriso lindo se formar em seu rosto.

- Boa noite Mel.


E assim nós dormimos. Juntos.


Heeeeey meus amores. TO DE VOLTA NESSA PORRA!!! 

Caralhoooo, vocês demoraram muito pra comentar e eu demorei mais ainda pra postar... e ainda postei uma bosta de capítulo como esse, pois é. É a vida.

Mas enfim, me digam o que acharam. Eu sei que ta pequeno pra caralho, mas é pros outros ficarem maiores e melhores, ficam tranquilas. Não vai estar uma bosta não.

Enfim, as leitoras novas o meu: MUUUUUITO BEM VINDAS!!!!!

Espero que vocês voltem sempre. E que aproveitem muito da imagine, e me dêem dicas, para saber como ficar melhor. :)))))))))))

Amo vocês suas pretas safadas.

Ahh gente, me mandaram uns selinhos ai, só que eu não vou fazer nada pq eu não sou a dona do blog e também pq eu nao sei fazer essas coisas, mas MUITO OBRIGADA as meninas que me deram selinhos, é sinal de que vocês estão gostando! E em forma de agradecimento vou divulgar vocês aqui tbm, junto com as outras meninas. 

Então vamos as divulgações:

Essa é da Juuh e a IB dela é a "A Girl Criminal", vão lá dar uma olhadinha é bem legal. -----> Clique aqui e se divirta! :)

Essa é da @biebermejogade4 (ADOREEEEI O NOME SAFADÊEEEENHA, tu é das minhas), ela recomeçou agr a fic e tals, então bora lá da uma olhadinha, vale a pena. -----> Clique aqui e se divirta! :)

Essa é da Evellyn Anacleto, ela que me deu um selinho (não pensei besteira, suas safadas, eu gosto de homem), então como forma de agradecer, to te indicando neguinha :D -----> Clique aqui e se divirta! :)

Essa é da Thais Maia, ela tbm me deu um selinho, então pra agrader, to divulgando tbm :P ---->Clique aqui e se divirta! :)

Esse aqui é da Imagine Belieber, não sei o nome dela, que pena..., mas enfim, ta divulgada. ----> Clique aqui e se divirta! :)

Esse é da Júh, ela começou a fazer uma imagine pro Chris tbm *-* Só não podem me trocar por ela... -----> Clique aqui e se divirta! :)


Então é isso minha gente, só não me troquem por essas cabritas hein? Comentem bastante que eu já estou preparando os outros capítulos!

Beijooooooos :*

Amo vocês!


terça-feira, 22 de outubro de 2013

Novidades

Oi meninas,me chamo Brenda mas podem me chamar de Breh,tenho 16 anos e to aqui pra da continuidade na historia Opposittes Attract,amanha ou depois eu posto,e comentem quero conhecer vocês, beijooos

sábado, 7 de setembro de 2013

Together Forever - Capítulo 10 "O que foi isso?"

"Você é um guerreiro, você é o meu guerreiro"Rise Up (Beyoncé)




- Parou de falar comigo é? –perguntou, arqueando a sobrancelha
- Ué, você não estava conversando com a sua amiguinha? –disse fazendo uma voz irritante.
- Tá com ciúmes é? –disse ele rindo. Idiota!
- Ciúmes? Eu? Claro que não.
- Tá sim. Por que?
- Ela tem um sorriso lindo, não é?
- Lindo? Talvez, mas sabe o que você tem que ela não?
- O que, Chris?
- O meu coração.

[...]

-Tchau Chris, a gente se vê amanhã –disse assim que chegamos na porta da minha casa.

-Tchau Mel. –disse ele se aproximando e me dando um abraço, logo depois dando um beijo demorado na minha bochecha e afastando seu rosto lentamente, fazendo com que nossos olhares se cruzassem.

Ficamos nos encarando por alguns minutos, até ele começar a aproximar seu rosto novamente. Meu olhar se dividia entre sua boca rosada, perfeitamente desenhada e seus olhos de um castanho esverdeado, que se encontravam tão vivos e tão brilhantes quanto eu jamais tinha visto.

À medida que nossos rostos foram se aproximando, fui fechando meus olhos e senti a maciez de seu lábios fazendo pressão sobre os meus, e pedindo passagem logo depois. Era um beijo calmo, com ternura.

-Ó que lindo, o casalzinho está se divertindo?

Me afastei bruscamente de Chris e encarei a escuridão a procura da pessoa que nos interrompeu.

-Ué, não reconhece mais minha voz, querida Mel? – Disse a pessoa se aproximando.

Estreitei um pouco os olhos para conseguir definir o rosto da tal pessoa.

-Quem é você? O que está fazendo aqui?

-Vim participar do último momento do casal.

-Han? Como assim?

- Eu vim acabar com você, amor. – E foi ai que eu percebi o revolver que cintilava em sua mão. 

Minhas mãos começaram a suar, e minha pernas a tremar. Eu não tinha forças pra me mexer, e tu que fiz foi chorar.

– Espero que queime no inferno, vadia.

Fechei os olhos e deixei que que lágrimas tomassem conta de minha face. Senti meu corpo sendo empurrado para trás, e escutei o disparo.

Esperei que a dor me consumisse, mas não senti nada. E abri os olhos lentamente, a tal pessoa tinha sumido, e tudo que vi foi um corpo jogado no chão coberto de sangue.

-CHRIS?!?! –levantei desesperada correndo em sua direção. –Por favor , Chris, não me deixe. –
Disse entre lágrimas e lágrimas. E observando o esforço que ele fazia para se manter acordado.

- Você é tão linda. –disse com a voz rouca, e passou a mão pela minha bochecha, fazendo um leve carinho com suas mãos macias. –Nunca se esqueça disso. –Disse ele, dando um sorriso lindo. E foi impossível não sorrir junto, mesmo em meio as lágrimas. –Eu te amo, Mel. Te amo muito. E eu estarei te esperando, ta bom? Juntos pra Sempre, lembra? –disse ele ainda sorrindo.

-Eu também te amo, Chis. Te amo muito. –disse selando nossos lábios levemente.

E assim ele foi fechando os seus lindos olhos lentamente.

-Eu te amo muito anjo, muito.- disse passando minha mãos por seu rosto angelical e me debruçando sobre seu corpo, agora sem vida, em meio as lágrimas.

Acordei assustada, e com lágrimas rolando pelo rosto. Minha respiração encontrava-se ofegante.

O que foi isso?

Me levantei desesperada, e fui correndo até a janela, a luz do quarto de Chris se encontrava acesa.

Me virei e sai pela porta do meu quarto rapidamente, peguei um casaco que estava no sofá, as chaves e sai em direção a casa dele. Fui até a sua janela e escalei até a mesma, batendo nela algumas vezes.

Chris me olhou confuso e foi abrir a janela rapidamente para eu poder entrar.

-Mel, o que faz aqui? Aconteceu alguma coisa? –perguntou assim que eu entrei. Balancei a cabeça negativamente.

-Posso...posso dormir aqui com você? –Perguntei encarando seus hipnotizantes olhos. Ele abriu um lindo sorriso.

- Tem certeza que quer isso? Seu namorado pode não gostar. – disse ele, esboçando um sorriso encantador nos lábios.

-Chris, eu confirmei uma coisa hoje, e quero te contar. –disse me levantando e ficando frente a frente com ele.

- E o que seria? –perguntou se aproximando de mim.

- Eu..eu ainda te amo. –disse olhando diretamente em seus olhos. E ele novamente abriu um lindo sorriso.


- E então, por que...-disse ele enquanto colocava a mão na minha cintura e me puxava de encontro ao seu corpo, quente e macio.- ...você não me beija agora, e me deixa te mostrar o quanto eu também te amo? –disse ele enquanto aproximava nossos lábios. –E pode ter certeza, que eu te amo, te amo muito.

E assim ele encostou levemente seus lábios no meu. Coloquei minhas mãos em seu pescoço o trazendo mais pra mim, ele sorriu e assim nos entregamos ao beijo, um beijo cheio de saudades, e de amor.


Ahhhhh gurias, saudades de vocês. Então eu resolvi continuar com Together Forever, já que vocês escolheram né. E o bom, é que ta vindo umas ideias maneiras aqui na minha cachola agora kkkkk' 

Vcs tavam com saudades de mim? Por que eu tava morrendo de saudades de vocês.

Será que ainda tem alguém aqui?

Se tiver, comentem que eu PROVAVELMENTE posto amanhã, é que realmente ta dificil pra eu postar, pq eu to estudando de segunda a segunda, sim, agora eu faço curso domingo tbm, que maravilha né? -_-

Bom é isso, espero que não estejam me odiando, que tenham gostado do capítulo e que comentem bastante pra eu ficar feliz. kkkkk'

DIGAM O QUE ACHARAM DO CAPÍTULO. 

E esse sonho louco da mel? Será que é um aviso e quem vcs acham que é a tal pessoa? hein? hein?

Amo vcs suas pretas.

Beijos e comentem.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Aviso MEGA IMPORTANTE


(Bey super sexy!)

Eu galerinha, se lembram de mim? Sabe.. aquela que escreve Together Forever, só que nunca posta? Então..sou eu!

Ta, olha eu tava pensando eu parar de escrever TF e começar uma outra, porque eu acho que me perdi muito no meio da imagine. E queria saber o que vocês acham. Devo continuar a escrever TF ou começar a escrever outra? Por favor, falem o que vocês acham, é muito importa pra mim. 

E pra quem nunca leu TF e não sabe nem do que eu to falando, procurem ai na parte lateral do blog, onde ta escrito "Imagines do Blog", então ali vai ta escrito Together Forever, cliquem que vai aparecer todos os capítulos escritos até agora, leiam e diga a opinião de vocês, se devo parar de escrever e começar outra- que deve ficar melhor que essa- ou continuar. 

Ok, comentem! Só pra constar, tava morrendo de saudades de vocês, espero que também estejam com saudades de mim... 



Beijos :)




segunda-feira, 1 de julho de 2013

❤ First Dance (Our Family) Chapter 7 ❤

Anteriormente: "- Ué, não vai casar comigo, Samantha? – Gelei, o quê?"

Samantha On

- O que quer dizer com isso, loro? - Perguntei sem graça.
- Quero dizer que eu te amo - ele disse sorrindo e com os olhos brilhando. - É, eu te amo, Samantha. Mas não da forma como sempre disse. Eu te amo e quero passar o resto da minha vida ao eu lado; quero sair com você pra comprarmos nosso próprio apartamento; sair pra comprar as coisas do nosso novo lar; quero pintar cada parede do lugar com você; quero construir uma família com você e depois, sair novamente com você atrás de um novo lar, mas dessa vez uma casa, porque a nossa família vai estar maior. Nós vamos estar esperando um filho. Eu apenas quero estar ao seu lado pra sempre. Fica do meu lado pra sempre, Sammy?
- Fico, Chris, eu fico - falei chorando. Caramba, nunca pensei que fosse ouvir isso dele. Nossa! Nós nunca ficamos, nunca trocamos intimidades, nunca passou de beijos na bochecha, nunca pensei que isso fosse acontecer de verdade.
Christian sorriu e se aproximou. Quando percebi, já estávamos nos beijando. Sua língua percorria cada canto da minha boca. O nosso beijo era o mais apaixonado de todo esse mundo. Se tivesse um prêmio de casal mais mais feliz do mundo, nós ganharíamos, sem nem mesmo termos começado a namorar. Eu sentia, apenas naquele beijo, que Christian me queria e eu também o queria, mais que qualquer coisa. Eu seria de capaz de tudo apenas para tê-lo ao meu lado. Eu o amo!
- Eu te amo - falei quando encerramos o beijo.
- Eu também amo você, meu amor - ele me deu um selinho, seguido de outro e de outro e de outro. Até que ele deitou sobre mim me dando vários selinhos, um atrás do outro. Se eu reclamava? Claro que não, nunca! Eu estava amando tudo aquilo. Estava amando o fato de tê-lo apenas para mim. - Vai aceitar ir na turnê comigo agora? - Perguntou esperançoso.
- Eu não posso, amor, tenho aula.
- Já disse que você falta! - Falou triste. - As aulas acabaram de começar, Sam. Você pode faltar por pelo menos uma semana, tenho certeza que seus pais deixariam. Depois você tenta repor as aulas, por favor. Vamos - ele disse quando se ajoelhando aos meus pés. Ai, meus Deus, o que fazer em um momento como esse?
- Ok, eu vou. Mas se os meus pais deixarem, se eles não deixarem nem invente de insistir porque eu tenho aula também, ouviu?
- Aaah, ok, qualquer coisa desde que você vá! - Ele me deu um selinho. - Eu te amo! - Ele gritou e me beijou.
- Ok, agora posso dormir? Tô morta de cansaço - falei com voz de morta.
- Claro, vamos. Eu também estou cansado.
Descobri a cama e deitamos na mesma, nos cobri com a coberta e logo estávamos dormindo.

***

Fui acordar só depois das 16h. Dormi pouco, achei que fosse dormir mais. Me virei e vi que Christian não estava mais lá. Dei de ombros, levantei da cama e fui tomar um banho. Fiquei meia-hora, sem exagero, lá dentro. Eu estava precisando de um banho para repassar tudo que tinha acontecido em menos de 24h na minha vida. Primeiro Christian aparece de surpresa na minha festa, aí a festa realmente acontece, os meus avós ficam acordados até as 5h da matina e aí quando eu finalmente chego em casa, Christian se declara pra mim e fala que quer ficar comigo pra sempre. Meu Deus, o que mais eu posso pedir? Eu só tenho a agradecer.
Saí do banho e vesti uma calça jeans, uma regata branca e um All Star preto. Desci as escadas e Christian, meus pais e meus avós estavam sentados à mesa da sala de jantar tomando um cafezinho da tarde.
- Boa tarde! - Falei animada quando cheguei na sala.
- Boa tarde, dorminhoca - meus pais falaram juntos. 
- O que fazem aqui? - Perguntei me dirigindo a vovó e vovô.
- Quer que nós vamos embora? - Vovô perguntou se fazendo de sentido.
- Nunca! Mas é que achei que vocês fossem tirar o dia pra descansar, ficaram a madrugada inteira acordados...
- Querida, nós ainda somos meros adolescentes. Talvez não na aparência, mas de resto - vovó falou olhando de canto para meu avô. 
- Eu fui a única que pensou merda? - Falei olhando para os meus pais e Chris.
- Não - os três falaram juntos.
- Que bom - falei ainda travada.
Fui até Christian, sentei-me em seu colo e lhe dei um selinho.
- Dormiu bem, bebê? - Meu namorado perguntou-me.
- Sim e você?
- Também - falou com um sorriso de canto.
- O que eu perdi? - Meu pai perguntou sorrindo.
- Vocês finalmente estão juntos? - Mamãe perguntou. Ótimo, buraco no chão, cadê você?
- Mãe, pai, sem perguntas por favor - falei olhando-os.
- Nós temos o direto de saber, querida. Além disso eu e Sandy sempre torcemos para vocês ficarem juntos... - Mamãe falou.
- Mãe, não estamos nem juntos nem separados, melhor assim?
- Não, eu não entendi nada - ela falou.
- Sra. Bittencourt, nós estamos nos conhecendo melhor - Christian falou, me fazendo rir. - Que foi? Deve ser assim que eles falavam na época dos nossos pais! - Ele disse se defendendo.
- Mãe, a gente tá ficando - falei ainda rindo.
- Esse ficar é de transar? Samantha, já falei que não quero você transando debaixo do meu teto! - Mamãe falou brava, me fazendo rir mais ainda, dessa vez Christian me acompanhou.
- Por que estão rindo? - Papai perguntou. À essa altura, até meus avós estavam rindo.
- Cara, ficar não é transar. É como se estivesse namorando, só que sem compromisso. Se nós resolvermos ficar com outras pessoas, podemos, entenderam? - Falei olhando ora pra minha mãe ora pro meu pai.
- Ah tá, melhor - os dois falaram em uníssono.
- Podemos andar por aí? - Falei me dirigindo a Chris.
- Claro, vamos - falou sorrindo.
- Vamos passear. Beijo pra quem fica - falei saindo de casa já, acompanhada de Christian que pegava em minha mão. - Pra onde vamos? - Perguntei quando já estávamos quase no final da rua.
- Podemos ir ao hotel onde meus pais estão e falar pra eles! - Chris disse animado.
- Certo, vamos!
Eu não tinha problema nenhum em ir à casa dos Beadles, eu amava a tia Sandy e o tio Will; além do mais, eu e Caitlin éramos super amigas. Sempre conversávamos, mas quando ela tinha que dar uma dura em mim, ela dava. Era como uma irmã mais velha.
Fomos a pé para o hotel onde eles estavam. Era um pouco longe, mas eu e Chris fomos passeando e vendo os lugares. Às vezes parávamos em alguma loja, víamos, comprávamos alguma coisa e depois seguíamos caminho. Alguns paparazzis estavam atrás de nós, mas sem problemas. Algumas fãs nos paravam, sem problemas também. Já estavam acostumadas a verem o Christian andando comigo. Já saímos há um bom tempo, então hoje em dia está mais tranquilo.

Samantha Off

Olááááá gente bonita, como vão??
Espero que tenham gostado do capítulo. Eu sei que demorei a postar, mas é que eu estava de mudança pra São Paulo. Mas já está tudo arrumado, já tenho internet, já estou de férias o que quer dizer que posso postar constantemente::: EBAAAAAA!! 
Bom, comentei por favor. Eu sei que tá meio parado o negócio, mas eu quero pelo menos cinco comentários. É importante pra mim, eu preciso saber que vocês estão gostando do Imagine pra continuar.
Beijos e até mais.
RESPOSTAS DOS COMMENTS AQUI

sábado, 22 de junho de 2013

Querido Diário - Isso não



Passei minha mão na cama e April não estava. Cosei os olhos e me levantei cambaleando ate o banheiro, entrei no banho e em minutos o banheiro era apenas fumaça. A silhueta de April apareceu com a toalha na mão, ela a pendurou no porta toalha dentro box, e um movimento rápido a puxei para de baixo da água. Eu ria de seu rosto enquanto ela mantia os olhos fechados e a boca aberta sem dizer nada.

A água escorria por seu corpo molhando minha camiseta, agora vestida por ela, deixando a mostra seus seios despidos, e uma calcinha preta, básica, mas sexy.
Tomei seus lábios em um beijo calmo, ela envolveu suas mão em meu pescoço. Minhas mãos passeavam por seu corpo ate a barra de minha camiseta puxando-a para cima.

April P.V.O's

Ele desceu minha calcinha a deixando cair no chão. Ele dedilho meu corpo por completo parando perto de minha intimidade, logo senti seus dedos dentro de mim. Soltei um gemido contra seu ouvido o fazendo arfar. 

-April? Chris? Não demorem vamos na lanchonete.  -Logan gritou do outro lado da porta.

-Responde... você. -Eu disse entre gemidos a Chris. Que negou, riu da minha cara e aumentou a intensidade de seus dedos.

-April?-Logan repetiu quando soltei um gemido mais alto.

-Nos de... cinco... minutos. -Eu disse entre muitos gemido, obvio que Logan percebeu devido ao grito que eu dei quando cheguei ao meu ápice, tanto que pude ouvir sua risada do outro lado. -Você me paga. -Disse ofegante enquanto Chris me puxava pra cima colocando minha pernas em volta de sua cintura. O beijei nos empurrando ate a parede. Me "desenrosquei" dele e parti o beijo, sua ereção era mais do que visível. Soltei um riso enquanto ele me encarava curioso peguei a toalha e me enrolei nela.

-April onde você vai? -Ele me chamou? -April vai me deixar assim? -Ele disse apontando para seu amiguinho ereto.

-Sim. Abri a porta e sai andando deixando-o no banheiro. Logo ele saiu com a cara emburrada e xingando Deus e o mundo. Eu apenas soltei um riso terminado de secar o cabelo.

-Você vai ver só, tá fudida. -Ele disse e eu soltei uma gargalhada.

-Anda que ate eu to pronta e você não. -Disse saindo do quarto.

-April? -Logan me chamou. -O que vocês tavam fazendo no banheiro? -Ele disse e os meninos riram.

-Logan vai a merda! -Eu disse rindo. Fui até a cozinha peguei a chave do carro de Chris e a minha câmera. Fique na varanda tirando fotos de tudo enquanto as donzelas se arrumavam.

-Vamos? -Disse enquanto ele iam ate os carros.

-A gente se encontra na lanchonete. -Logan disse.

-Ok, Chris, anjo. Vamos? -Ele assentiu e eu fui correndo ate o volante.

 -April sai dai você não vai dirigir meu mustang. -Ele disse serio.

-A chave tá comigo, então ou me deixa dirigir ou a gente não sai. -Ele bufou e deu a volta no carro. Ele tava bravo, então inspira, expira e não pira April. -O que foi?

-O que foi o que? -Ele disse sem tirar os olhos da estrada.

-Você tá emburrado.- Ele bufou. -Qual é vai me dizer que foi por causa do banheiro?

-Nenhuma garota nunca me negou sexo! -Ele disse indignado.

-Bom então eu fui a primeira, e bem eu não neguei sexo a você. Eu só me vinguei por ter me feito passa mico. -Eu disse rindo.

-É bom você estar muito bem acordada hoje a noite, porque eu vou continuar da onde paramos.

-Tarado.-Eu disse rindo.

-Por você. -Ele disse no pé de minha orelha.Cara como ele é gostoso.

(...)
-Você pode tirar uma foto nossa? -A garota disse ao Christian, ele assentiu e se levantou, as quatro sorriram e quase esmagaram os peitos pra foto. -Obrigada. -A loira oxigenada disse e deu um beijo na bochecha de Christian. Os pratos chegaram enquanto ela o "agradecia". 

-Chris? Meu amor, seu prato chegou. -Eu disse o mais cínica possível. Ele sorriu e a loira me olhou feio, apenas sorri forçado enquanto Christian se sentava. Ela ajeitou o decote e saiu rebolando, digo, quebrando o quadril, por que meu Deus! Foda-se o bom é que ela saiu junto com as amiguinhas. -Vadia. -Soltei sem querer o que fez Elly rir e concordar e os meninos me encararem. -O que foi? -Disse ríspida enquanto eles me olhavam desentendidos.- Vai dizer que não viu que elas estavam se jogando pra vocês? -Perguntei e eles negaram. -Falta de respeito, parece ate que não tem garotas com vocês eu hein. -Murmurei a mim mesma.

-Elas só queriam uma foto April. Credo! -Carlos disse e Elly o encarou indignada.

-Carlos ela praticamente tiraram a roupa na frente de vocês. -Elly disse.

-Isso não é nada, estava escrito na testa delas "Me da mole que eu abaixo aqui e agora e pago um boquete pra você". -Eles pararam de comer e me olharam surpresos. -O que foi agora?

-April, onde você aprendeu isso? -James disse boquiaberto, Elly riu da cara deles e eu continuava com a mesma cara de tédio.

-Meu Deus o que houve com a garotinha que eu conheci? -Kendall disse.

-Cresceu e deu pra alguém. -Disse simples. Chris soltou um riso fofo, Elly praticamente bateu palmas, e os meninos me olhavam espantados.

-April, poupe-nos da duas intimidades. -Logan disse com cara de nojo.

-Ah meu fala serio! Logan, nos já transamos esqueceu? E dois vocês quatro já me viram enrolada em um lenço com o Chris só de cueca então vocês quatro mais que qualquer um sabem que eu já transei, e três ate parece que vocês não fazem isso. 

-Calma ai tigresa que isso TPM?- Kendall disse. Velho o que aconteceu? Eu hein eu to ficando louca, calma ai segura a onda April, não precisa se estressar. Será que eu to com ciumes?

(...)


Senti sua mão em minha coxa, ele apertava minhas coxas. -Chris espera a gente chegar em casa. - Eu disse e ele me ignorou. Parou o carro no acostamento, a estrada totalmente vazia, os garotos estavam com os carros a nossa frente. Senti os lábios de Chris encostarem nos meus, parti o beijo ofegante devido a falta de ar. -O que você ta fazendo?

-To fazendo sexo com minha namorada, no meu carro. -Ele disse e pulou pro banco de trás me puxando.

-Você é louco!- eu disse rindo, ele me passou para de baixo dele, e começou mais um beijo quente, como sempre, essa viajem ta melhor do que nunca.

Ele desceu os beijos até meu colo, enquanto puxava minha blusa. Suas mão tocavam meu corpo selvagemente e ao mesmo tempo carinhosamente. Separei nosso beijo, eu queria o sentir, sentir seu corpo colado no meu, sentir seu beijo, sentir ele perto de mim, sentir que ele era meu.

Chris puxou minha sai para cima e me despi por completo, senti minha bochechas corarem. -Por que ainda tem vergonha de mim. -Ele disse rindo, sorri tímida e logo seus lábios tomaram o meu, focando meus pensamentos nele, no seu corpo, na sua voz, no seu rosto, na suas palavras, nos seu beijos, digo, nossos beijos, nas caricias.

O ajudei a desabotoar a bermuda e tirar a camisa, e a puxando deixando se abdômen definido, Chris não hesitou e logo senti ele dentro de mim, sem preliminares, melação ou enrolarão, rapidamente estava se movimentando dentro de mim. A sensação ter-lo  dentro de mim é inexplicável.

Tudo acontecia tão rápido e inesperado, eu tentava controlar meus gemidos, mordendo os lábios, mas não adiantava, minhas mãos estavam apertando o couro do banco com força. -April? -Ele disse ofegante.

-Hum. -Eu soltei um barulho mais parecido com um gemido, que na verdade era tudo que saia de meus lábios agora.

-Se agarra em mim. -Ele disse já mais do que ofegante.

-Eu vou... te machu...car. -Disse a ele com a maior dificuldade. Ele apenas pegou minhas mãos uma de cada vez e colocou em sua nuca enquanto iniciava um beijo, mais calmo que os outros que tivemos essa noite.

Senti Chris diminuir a velocidade, o ajudei e trocamos de posição agora eu ,como ele diz, estou no comando, eu realmente me apaixonei por um louco. O som de nossos gemidos era claro, e o calor de nossos corpos dentro do carro fazia tudo melhor, sua pele junta a minha, colada, sentindo seu cheiro se misturar ao meu, seu toque me fazendo arrepiar por completa, seus olhos vidrados em meus corpo. Seus braços me segurando firme, como se quisesse que fossemos apenas um. Minhas mãos em suas costas as arranhando. Tinha certeza de que ficaria marcas, mas naquele momento, naquele momento que vivíamos, eram apenas eu e ele, juntos, nos amando, em um ritmo frenético.


A sensação de êxtase e prazer não demorou a me invadir, eu diminuía os movimentos e a velocidade enquanto o orgasmo me invadia, Christian não ficava para trás, ele mantinha um ritmo ainda, mas não o mesmo, já estava perto de seu limite assim como eu, tínhamos a perfeita sintonia, tudo, os beijos, movimentos, toques, caricias, respirações parecia tudo coordenado, perfeitamente calculado, para que tivésimos os dois o mesmo contentamento, ninguém sairia dali insatisfeito ou ate mesmo preocupado, era tudo perfeito. Até quando meu corpo caiu sobre o dele de cansaço tudo parecia perfeito, ele ainda dentro de mim, nossas respirações rápidas e descompassadas, seus dedos em meu cabelo fazendo carinho, fechei meus olhos ouvindo seu coração bater junto ao meu acelerado, como o meu, suas mão suando, como as minha, tudo era exatamente igual, nos ficávamos nervosos perto um do outro, mas mesmo assim nos sentíamos bem.


(...)


-April? -Ele me chamou e eu o encarei sonolenta, estava cansada, acabada, tudo o que acabara de acontecer me deixou no chão, digo, esgotada. -Quer algo para comer? Vou na cozinha agora. -Assenti e o segui ate a cozinha. -Sta lá na sala eu preparo algo.


Assenti e sentei, digo, me esparramei no sofá, estava assistindo um filme qualquer na tv, quando James chegou respirando fundo e com uma cara de quem vai tirar o pai da forca. -Onde vocês estavam? -Ele disse preocupado. -Quase nos matam do coração!


Eu sorri de canto. -April, vamos pro quarto? -Chris disse veio da cozinha com pratos e copos.


-James, vou deitar. Devia ir também. -Beijei sua testa, e ele riu. -Estamos bem não precisa se preocupar. -Ele riu e foi se deitar, eu desliguei a tv e fui pro quarto.


(...)


-MEU DEUS DO CÉU! -Eu gritei já irritada. Elly me encarou assustada, nós estávamos nos arrumando pra ira ao shopping. -Não me lembro desse vestido ser tão justo.


-Você usou ele na segunda passada e ele parecia mais folgado. -Ela disse analisando meu reflexo no espelho assim como eu.


-Eu estou engordando? -Perguntei a ele e a mim mesma, mais a mim mesma do que pra ela.


-Não!-Ela disse indignada. -Você só esta inchada. -Ela me disse como se fosse obvio. -Isso pode ser retenção de liquido ou ate mesmo aqueles dias que estão a chegar, se prepara nega. -Ela disse rindo.


-É deve ser isso mesmo.


(...)


-Você tá bem mesmo April? - Elly me perguntou, depois que eu sai do banheiro.


-Sim foi apenas um enjoo. -Eu disse a ela. -Vamos terminar de fazer o jantar. -Estávamos preparando o jantar de natal, enquanto os garotos iam compra o que eles enrolaram 3 semanas para compra, isso, presentes.


-Esse cheiro tá otim não é April? -Ela disse enquanto fazíamos a comida. Apenas assenti, mas na verdade aquele cheiro de comida estava me embrulhando o estomago. Eu sabia que ela sabia que eu não estava bem ali, mas fique na minha. -Vai sentar lá na sala eu termino.


-Não, por que eu posso te ajudar. -Disse a ela.


-Você ta mais branca que papel.Vai tomar um banho e descansar, depois eu falo com o Chris e...


-NÃO! -Ela me olhou rindo. -Não diz pra ele que eu to mal ok? -ela assentiu. -Me acorda quando eles tiverem vindo ok?


-Tudo bem.  Agora vai lá.


(...)


-April acorda. -Elly me balançava de leve.


-Que cheiro é esse? - Eu disse meio sonolenta, aquele cheiro doce me embrulho o estomago de um jeito, que eu corri pro banheiro com uma rapidez que só Jesus na causa.


-É meu perfume. -Ela disse confusa enquanto eu corria pra o banheiro. -April, acho melhor você ir no médico, isso já não ta certo um dia, mas já tem alguns dias que você tá assim.


-Eu to bem. -Disse escovando os dentes. -Vou me arrumar ok? -Ela assentiu e saiu do quarto.


(...)


-April, adorei esse seu top, ele deixa seus peitos enormes. -Chris disse no pé da minha orelha enquanto ajudava os garotos a terminarem de colocar tudo de baixo da arvore.


-Para de palhaçada e me ajuda vai. -Eu me agachei para colocar os presentes na arvore e quando voltei, me senti tonta, Chris me segurou, para não cair.


-April, você tá bem? -Ele perguntou olhando em meus olhos. Assenti, sentindo o mudo a minha volta girar, segurei forte seu braço e ele me ajudou a sentar no sofá. -Vou pegar um copo de água, eu assenti jogando minha cabeça para trás e encostando no sofá. -Toma. -El me entregou o copo. -Você quer ir no medico, deitar, dormir, quer remédio? -Eu ri.


-Eu to bem, foi só de levantar rápido. -Ele me olhou desconfiado e eu sorri, o selei, e obvio ele se esqueceu do que falávamos.


(...)


-Me espera! -eu disse correndo pro banheiro.


-April, anda logo nós queremos trocar os presentes.- Kendall gritou.


-EU VOU FAZER XIXI CACETE! -Eu gritei do banheiro.


-JÁ É A QUARTA VEZ SÓ HOJE A NOITE! - Carlos gritou, caralho eu não posso nem ir no banheiro em paz, meu Deus. Voltei rapido pra lá antes  que me matassem. Pois é.


(...)


-Elly você não acha que eu estou realmente...? -Eu disse a ela tentando manter a calma


-Não, não afirmo, mas minha irmã mais velha ficou assim ano passado, ela sentiu tudo que você esta sentindo, e bom ela estava. -Não, eu não posso estar gravida. Isso não.




HEY SEXY LADYS!

WHATSZUP?

E ai garotada que eu amo, como vão vocês?
Eu vou bem, bem mal, digo, na escola,  não sou abençoada com a inteligencia e sim com a lerdeza, fazer o que? É a vida, a unica que eu to bem é redação e gramatica, não era pra menos, pra quem tem dois blogs com fan fic era o minimo né?
Mas e ai novidades?
Mas antes das novidades, eu sei o capitulo ta uma merda o sexo ali em cima nem se fala mais merda impossível ,mas eu travei, serio eu TRAVEI, eu não conseguia escrever de jeito nenhum, e foi isso que saiu. Sorry, mas voltando as novidades.
EU TENHO TAN TAN TAN
EU VOU NA BELIEVE TOUR
Digo talvez, isso depende das minhas notas, então é não.
¬¬
Palmas para mim! Sou um gênio não? Minha mãe comprou o Demi para mim, sou a pessoa mais feliz do mundo sim ou claro? Já disse que a Fefep´s quer me levar na Unexpected Tour aqui?
Pra quem não sabe o que é: É a tour do pessoal do x factor, não, o Emblem 3 não vem, vem a Paige, a Cece, mais um cara que eu n lembro o nome e a bendita, que eu não fico um dia sem ouvir o nome a JENNEL!
Pois é a Fefep´s é spicer, e bom pra quem não conhece a Jennel:
Gente estou ouvindo Both of us da Taylor Swift e do B.O.B e eu não consigo largar meu deus, eu sei ta velhinha ,but...
To de ferias eu já disse, acho que não, mas bom agora posso postar melhor pra vocês tirando o fato que eu tenho recuperação de física, eu tenho mais tempo.
To tomando remédio pra ficar calma, sabiam? Pois é meu estresse ta falando mais alto. Minha mãe decidiu pedir pra medica depois que eu surtei aqui em casa. É estresse eu tenho, pra distribuir e sobra. Uma vez a gente fez um teste na escola de estresse e bom eu assinalei todas menos uma que era assim "Você fuma ou bebe para aliviar o estresse?" Ai eu não assinalei, mas se fosse comida ou roer unhas ai sim eu ia assinalar pois é prazer Beatriz o Poço de Estres.
 Bom acho que já falei de mais por hoje né, bom eu vou responder vocês e me mandar daqui.

Comentários:

Anonimo: AWN QUE FOFA! eu to tentando não demorara tanto, mas eu prometo que vou me esforçar mais, odeio deixar vocês na mão.

Evellyn: Você disse tudo, são fofíssimos e safados ao estremo.

Anonimo: Continuando.

Pamela:AWN AWN AWN Não sou diva, só um pouquinho, brincadeira, muito obrigada anjo.

Karolýnne: A KAROL TÁ DE VOLTA! Fala awe vadia!
Brincadeira, não me mate saudades de você surtando aqui molier, como vai a família? lol 
Não comente depois comente agora fazendo favor u.u


7 comentários hein hein?





terça-feira, 28 de maio de 2013

Opposittes Attract: Capítulo 11 - Dating

Large
"Cause I knew you were the one, with you my life has just begun"

Los Angeles - Califórnia, sábado, 11:10AM
Eu não conseguia processar a informação. Christian, o cara que fingiu ser meu amigo, me enganou, se arrependeu e voltou a ser meu amigo, me pediu em namoro? É isso mesmo ou eu estou entendendo errado?
Seus olhos estavam fixos no meu e eu não conseguia fazer nada, meu cérebro pareceu parar de funcionar.
Christian: E? – Falou me tirando do transe. Balancei a cabeça para ver se ela voltava a funcionar, mas não adiantou muito.
Kim: O que você disse mesmo? – Perguntei para ter mais tempo de pensar. Eu ainda não sabia se deveria dizer sim a ele, eu tinha medo em relação a isso. Se ele já me magoou uma vez, com certeza seria capaz de fazer isso novamente.
Christian: Que eu só vou lá fora com você se você aceitar namorar comigo. – Levantei da cama e ele me olhou confuso. Eu já sabia o que dizer pra ele, já tinha a certeza do que eu queria, mas iria brincar um pouco com ele e o fazer pedir desculpas novamente.
Kim: Então vamos ficar aqui dentro mesmo. – Seu olhar agora era de tristeza e ele levantou da cama vindo até mim.
Christian: É sério que vai me dar um fora?
Kim: Sim, eu não esqueci o que você fez. – Me afastei dele.
Christian: Eu já disse que me arrependo, Kim. Eu realmente queria desistir daquela aposta inútil, mas eu sou um fraco, um covarde, só tomo as decisões erradas e eu quero mudar, começando por você. Eu quero você comigo, quero que você seja a minha garota, porque eu gosto muito de você, mais do que você imagina. Por favor, Kim, aceita namorar comigo? Eu prometo que não irei te magoar nunca mais. – Disse segurando uma das minhas mãos e olhando nos meus olhos. Sorri sinceramente e lhe dei um tapa no braço.
Kim: Seu besta, eu queria te enganar mais só que você fica dizendo essas coisas e eu não consigo. – Falei rindo. Eu queria apenas que ele dissesse um “desculpa” e não imaginava que ele faria um discurso.
Christian: Então você aceita? – Sorriu.
Kim: Se você cumprir a promessa de não me magoar nunca mais, eu aceito. – Ele me abraçou e me levantou do chão, me fazendo rir.
Christian: Eu irei cumprir! – Falou me girando e eu selei nossos lábios ainda rodando. Christian aos poucos foi me colocando no chão e ainda bem que ele me segurava pela cintura, porque minhas pernas pareciam gelatinas e meu coração estava disparado. Ainda não parecia real o fato de eu e Christian estarmos namorando, nós passamos tanto tempo brigando que eu sentia nojo só de pensar nessa possibilidade. – Eu nunca mais vou te largar. – Me deu um selinho e eu sorri feito uma boba. É assim que ficamos quando estamos apaixonados?
Kim: Desde quando você é fofo e romântico?
Christian: Foi você que fez isso comigo. - Ri.
Kim: Eu mereço um prêmio por isso. – Ele riu e me deu um beijo na bochecha. Logo depois disso meu celular tocou e eu vi no visor que era meu pai, ele queria me chamar para ir almoçar, mas nós estávamos muito longe sabe...
Eu e Christian descemos de mãos dadas e quando chegamos na cozinha meu pai nos olhou surpreso.
Kim: Antes que você fale alguma coisa, sim, é isso que você está pensando e por favor, não faça piadinhas. – Falei ao meu pai e ele e Christian riram.
George: Tá bom, eu não irei, é que eu não imaginava que isso ia acontecer tão rápido.
Christian: Rápido? Foi difícil tá... – Dessa vez eu e meu pai que rimos.
Kim: Que tal se mudássemos de assunto?
George: Não, eu quero falar sobre isso. – Revirei os olhos. – Christian, você é um ótimo garoto, mas se magoar a Kim de novo eu irei parar na cadeia por assassinato entendeu? – Christian assentiu tenso e eu ri alto.
Kim: Pai não precisa tanto. – Ele riu fraco assentindo.
Christian: Vamos no shopping depois?
Kim: Deve tá lotado.
George: É verdade, o Natal tá chegando, deve tá uma loucura.
Christian: Então vamos passar o dia comendo doces, assistindo filmes e engordando?
Kim: Assim que se fala! – Eles riram. Doroth colocou a comida na mesa e os olhos de Christian brilharam, me fazendo rir. Nós combinávamos nisso, ambos amamos comida. Nós comemos conversando sobre a minha vida, acho que eles adoram falar sobre mim, porque né...

Depois eu e Christian saímos para comprar doces e no caminho até o mercado nós agíamos feito crianças brincando na neve e pulando um em cima do outro. Todo mundo olhava estranho para nós, mas não nos importávamos. Estávamos felizes e nada podia nos deixar tristes hoje.

Oi, oi, oi, voltei.
Tava sem internet, mas já estou de volta \o/
Espero que gostem desse capítulo :)
Falem comigo pelo ask, podem falar qualquer coisa, eu sempre respondo :)
É isso, até o próximo capítulo ;*

Divulgando:

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Querido Diario - Ela se tornou a coisa certa...






-Seu pai, tá pedindo sua guarda na justiça. -OQUE?

-O QUE? - Por que isso agora?

Christian P.V.O´s

Coloquei a ultima mala no carro enquanto April se despedia de sua mãe, minha mãe estava na porta de casa sorrindo, lhe dei um abraço e como sempre ela sussurrou um "Tenha juízo." tipico de Dona Sandy. Meu pai saiu no quintal e lhe dei um abraço também.

-Não se divirta de mais com April viu? -Ele disse rindo.

-Não prometo nada. -Soltei um sorriso sarcástico para ele que riu. Sou muito aberto com meu pai, e obvio ele sabe que eu já peguei April de jeito, ai se ela sabe que eu pensei isso, eu levo uns tapas.

-April vamos? -A chamei e ela apenas assentiu. entramos no carro e ela logo ligou o som, ele tocava mas o silencio era mortal, April estava meio abatida esses dias, e não importa o quanto perguntasse ela não me dizia nada. -April, você esta bem?

-Sim. -Disse e sorriu forçado, aumentou o som e voltou a olhar a janela. Eu o desliguei chamando sua atenção  ela me olhou incrédula.

-Me fala o que ta acontecendo contigo, eu quero ajudar! -Eu disse um pouco mais alterado com ela. Ela abaixou a cabeça e passou as costas da mão no rosto. -April me desculpa eu ão queria ter gritado eu sou um...

-Não foi isso. -Senti sua mão tocar meu ombro. E meu coração apertou, sabe? Ela tem sido tudo para mim, ela tem feito meus dias mais felizes elas tem me tornando um cara melhor, e vê-lá assim é muito... Irritante. O sorriso dela tem alegrado minhas manhãs, tem me feito feliz. Ela tem me feito feliz, acho que tudo que eu tenho de mais precioso é ela. Eu realmente a amo.

-Escuta, April eu amo você mais que eu mesmo. Então, aproveita que o sinal tá fechado e me diz o que tá te irritando. -Ela soltou um riso abafado.

-Meu pai... -Ela suspirou. -Ele quer a minha guarda.

-Você tá brincando né?

-Eu queria. -Ela abaixou a cabeça e deixou as lagrimas correm por seu rosto molhando sua saia. -Minha mãe me deixou ir, por medo. Ele tá vindo para Albuquerque esse feriado, e minha mãe me quer o mais longe possível da qui até ele ir embora.

-Escuta. Ele não vai encostar um dedo se quer em você. Ok? -Eu coloquei a mão sobre a sua, sem tirar os olhos da rua.

(...)

-Chris deixa eu te ajudar!- Ela disse puxando uma das malas de minha mão.

-Não, April eu posso carregar! -Eu disse puxando a mala de novo. -April larga a mala. -Ela puxou a mala e derrubou todas as outras da minha mão. -Ta vendo April. -Eu disse rindo, ela não respondeu. -April? -So vi uma mãozinha tentando empurrar as malas. -AI MEU DEUS APRIL! -Fui ajuda-lá a sair de baixo das mala. -Você ta bem?

-To eu to! -Ela disse limpando a grama da bunda.

-Quer que eu limpe isso? -Disse com um sorriso sapeca.

-Para! -Ela disse corando. Eu ri da cara dela e passei deixando-a apenas com uma mala. -CHRIS ME AJUDA!

-Fala.-Disse já encostado na viga da varanda. Ela olhou para mala com cara de cachorro que caiu da mudança. Peguei a mala e coloquei na sala, logo ouvi um carro, não sei de qual dos meninos, eu sai a procura de April.

April cumprimentava a garota que vinha com Carlos enquanto ele tirava as mala do carro, fui ajuda-lo, April e a garota conversavam e riam alto o que é meio estranho. Não que April não seja sociável, mas é que ela e tímida então e difícil de conversar tão a vontade com alguém assim. -Hey, Christian, prazer. -Eu disse estendendo a mão a garota ela apertou e me deu um beijo na bochecha.

-Elly, o prazer é todo meu. -Ela disse divertida e as duas riram. April não é do tipo ciumenta e eu gosto disso nela, ela confia em mim e eu nela. E isso se torna uma coisa saudável entre nos.

(...)
-Você toca? - Disse April assim que me viu n varanda. Me aproximei da mesma que estava deitada com folhas, cadernos, lápis-de-cor, tintas e pincéis espalhados pela grama e murmurando alguma música. Me sentei encostado na árvore e ela pegou um caderno, um lápis  uma borracha e se sentou entre minhas pernas, encostou a cabeça em meu peito. Olhei o caderno e nele havia um desenho, muito bonito, April riscava a folha em um ritmo calmo, ela estava calma, ela passa tranquilidade, eu soltei um suspiro enquanto passava a mão em seus cabelos, eu não podia a ver  mas tenho certeza de que ela sorria, o que me deixava mais tranquilo, mais feliz. April deixava mas feliz, aos poucos ela foi largando o lápis  Olhei a folha e lá estava um desenho de nos dois. April recolheu suas coisas e se levantou  Olhou para mim e estendeu a mão me puxando para cima.

-Por que temos que entrar? -Questionei ela. -Estava tão bom aqui, apenas nos dois tão bom! -Disse fazendo manha.

-Nos vamos sair hoje esqueceu? -Na verdade eu tinha me esquecido mesmo, planejamos sair todos juntos, April, eu, Logan, Kendall, James, Carlos e Elly. Vamos a um restaurante depois vamos a um balada da cidade.

April abaixou para pegar suas coisa enquanto eu a ajudava. Pegamos tudo e fomos para o quarto, tudo se encontrava igual, apenas uma mala aberta onde estavam os desenhos, papeis, tintas, pinceis e afins de April. Ela entrou no quarto e fez uma careta. Colocou suas coisas na mala que estava em cima da cama. O quarto, mesmo April estando ali por apenas minutos, já tinha seu cheiro, seu perfume digo. Era um quarto aconchegante, muito convidativo, paredes de madeira clara, mobiliá de madeira mais escura tapeçarias penduradas na paredes deixando o local com um ar mais, indígena, eu acho algo mais rustico, os lençóis sobre a cama eram em tons pasteis, assim como as fronhas dos travesseiros  porem as cobertas, mais pesadas por causa do frio que aparentava fazer a noite, eram em estampas étnicas com tons de vermelho-barro, marrom, verde-grama, bege, preto e azul-marinho.

April encarou o quarto se apoiou no colchão e tirou seus sapatos, logo prendendo seus cabelos, que caiam sobre seu rosto de um jeito que o escondia, mas não por completo. Ela bufou rendida, me encarou e sorriu fraco. -Teremos de desfazer as malas uma hora. Então vamos começar. -Ela passou por mim enquanto eu colocava o violão na cadeira de frente para a cama. 

April pegou sua mala e a jogou em cima da cama, como se fosse pesada pra ela aguentar por mais tempo, soltei um riso abafado enquanto fazia o mesmo. April pegava os cabides e os pendurava já com as peças, de um modo rápido. Enquanto ela já estava na metade eu ainda me encontrava apenas com duas peças na gaveta. -April, quer fazer uma troca? -Ela me encarou confusa. -Você guarda minhas roupas e eu termino de guardar suas calcinhas. -Disse rindo a mesma me jogou uma camisola, rindo, em meu rosto. Estiquei a peça para poder ver, April poderia passar os dias com aquela camisola. -Porque não usa uma dessas todo dia? -Disse me referindo a camisola que se encontrava em minha mão.

-Por que isso é um baby doll. -A encarei com cara de tédio  -Tudo bem posso usar hoje na balada que tal?- Meu rosto se fechou, só de pensar no que os outros homens iam pensar dela, apenas eu tenho direitos a pensamentos impróprios de April. Assim que ela me fitou ela soltou um riso fofo. Pegou uma toalha e roupas intimas, passou por min depositando um beijo em minha bochecha. -Eu só uso isso pra você. -Ela disse no pé de minha orelha e logo se trancou no banheiro.

Eu terminei de guardar as coisas e tirei o notebook da mochila, ligando para falar com os garotos no Skype, conversávamos sobre besteiras e coisas aleatórias  quando April abriu a porta da suite deixando o bafo quente do banheiro se espalhar pelo quarto, April saiu de lá apenas de lingerie e secando os cabelos.

-Nossa! April que saúde hein? -Dylan disse brincalhão. Eu o encarei reprovando o que ele disse e logo virei o notebook para que eles não pudessem vê-la tão... Sexy. 

-Quem disse isso? -April me perguntou assustada.

-Calma, foi o Dylan estou conversando com ele e com Chad! -Disse encarando cada movimento seu, April foi a penteadeira e ligou o secador, e se sentou na cadeira de frente ao espelho, secando os cabelos.

-Christian, quer um babador? -Chad disse pucando a risada de Dylan.

-Babador é pouco tras um balde de uma vez! -Dylan retrucou rindo, conseguia ver o sorriso sem graça de April atraves de seu reflexo. Assim que percebeu meu olha sobre ela, ela abriu um sorriso, sorri de volta.

-Ô APRIL! VOCÊ PEGO ELE DE JEITO! -Chad gritou pra ela. -Agora so sabe sorrir, suspirar, viajar, beijos aqui e ali, April isso, April aquilo! -Ele disse rindo, arancando uma gargalhada gostosa dela. -Meu parabens você domou a fera!

-Obrigada, Chad! -Ela sorriu. -Dizem que tenho talento para domadora.

-E ai Christian ela tem todo esse talento mesmo hein? -Dylan perguntou e vi as bochechasde April queimarem. Eu soltei um sorriso de canto.

-Hummmmm! -Os dois fizeram juntos.

-Conheço essa cara Senhor Beadles! -Dylan disse. -A APRIL TEM PEGADA! -Ele disse rindo e puxando uma gargalhada de Chad e April.

-Então quer dizer que ela realmente tem talento sobre o assunto! -Chad disse segurando o risso.

-Chega vocês dois! -Eu disse rido. -Vou tomar banho. -Os avisei antes de desligar. Passei por April e depositei um beijo no topo de sua cabeça enquanto ela se maquiava. -Você é linda não precisa disso.-Disse e vi um sorriso tímido brotar em seus lábios.

Entrei no banho, enquanto ouvia April cantarolar a mesma musica de hoje mais cedo, sempre que ela se arruma ou desenha, ou esta apenas atoa ela cantarola essa musica. Sai do banho enrolado na toalha, passei por April que estava se encolhendo para entrar em seus jeans. Coloquei um box e a fitei, ela se olhava no espelho fazendo caretas, soltei uma risada abafada. Ela se virava e arrumava os jeans, ela estava quase esmagada em seus jeans, mas por alguma razão ao mesmo tempo que  ele a esmagava ele deixava suas curvas a mostra a deixando mais bonita, caindo perfeitamente em seu corpo. -O que você acha? Estou gorda nessa calça? -April me despertou de meus desvaneio. 

Me aproximei dela e a abracei por trás  meus braços em volta de sua barriga desnuda, meu queixo em seu ombro, olhando o nosso reflexo. -Você é perfeita exatamente assim.- Dedilhei seu ombro puxando seu cabelo e beijando seu pescoço. April arfou, virei-a  bruscamente contra o meu fazendo nosso corpos se chocarem, ela envolveu meu pescoço em seus braços brincando com meu cabelo, apertei mais seu corpo contra o meu inciando um beijo calmo, fui deitando ela na cama, os beijo já eram com mais urgência  desci minha mão a barra de sua calça e a abri, April parou o beijo e me empurrou.

A garota correu para frente do espelho. -Demorei anos para conseguir fecha-la! -Me levantei indo em sua direção e depositando um beijo simples em seus lábios, desci minhas mão a barra da calça e a senti recuar um pouco, anates que ela falasse algo ajudei-a a fechar a calça. Puxei-a para um beijo simples. April sorriu de canto e eu me voltei a me arrumar, só para variar terminei antes de April e sai do quarto, os garotos já estavam na sala conversando, me juntei a eles, porem April e Elly se arrumando pareciam noivas demoravam horas, volta e meia se via April ou Elly correndo de lingerie pelo corredores uma atra da outra, gritando por brincos ou sapatos emprestados. Eu já ia bater na porta quando April e Elly saíram juntas do quarto ja prontas, April estava maravilhosa como sempre.

Logan P.V.O´s

Chegamos em casa, tudo apagado apenas a luz do abajur do quarto de April e Chris acesso, cheguei ja jogando o casaco por onde passávamos. -Vou avisar-los que já chegamos. -James disse um pouco embolado, ele havia tomados algumas doses na balada, James só sabe beber. Soltei um riso abafado com meus próprios pensamentos, me joguei no sofá fechando os olhos, não iria dormir ali apenas relaxar, coisa que estava me fazendo falta, anda tudo tão corrido que eu mal consigo pensar e tudo pare...

-QUE ISSO? -Ouvi James gritar do corredor, me levantei para ver o que era, só eu ia fazer isso agora, Carlos e Elly ainda dançavam e se pegavam quando eu sai com James, Kendall paquerava garotas, provavelmente não volte antes da seis, deve levar alguma dela para algum motel ou coisa do tipo, coitados dos pais desse tipo de garota que sai com Kendall sempre no final da noite o estado delas é deplorável.

James se encontrava jogado no chão do corredor rindo e a porta do quarto dos dois estava aberto. -O que houve? -Indaguei a James que não parava de rir, o mesmo apensa apontou para dentro do quarto, onde Chris e April estavam deitados, bom não a nada de errado, mas acho que a graça toda que James, bêbado  viu foi o fato dele estarem nus, revirei os olhos e fechei a porta. Puxei James para cima rindo. -Você é muito enxerido, podia ter batido.

-Eu me esqueci!- Disse simples. Apenas o levei ate o quarto e o joguei em sua cama, não tinha nem deixado o quarto e ele já havia dormido. Bêbados, pensei comigo mesmo

(...)

3:14 da manhã quem em sã consciência esta acordado? Levantei sonolento e fui atras do barulho. O corredor totalmente escuro apenas o barulho que vinha aparentemente da cozinha. Na sala uma escuridão não total, por causa da luz que vinha da cozinha, como só havia o balcão e o armário suspenso no teto. A luz da cozinha batia até metade da sala me dando a visão de copos com refrigerante pela metade. Um barulho de caixas caindo me despertou.

-Chris você vai acordar todo mundo. - April, eu creio sussurrava rindo. Fui até a cozinha e ela e Chris se beijavam, ela encostada no balcão e ele com as mãos em sua cintura, eles riam durante o beijo, era uma cena tipica de filme romântico, ela com a camiseta dele, que era comprida iam até metade de suas coxas, seus cabelos bagunçados e sua cara amaçada de sono, mas um sorriso radiante e satisfeito, devido ao que acabara de acontecer entre eles. E ele com sua box, e o cabelo arrepiado para cima, o que as mulheres particularmente acham sexy. Cocei a garganta chamando a atenção dos dois.

-Vocês pode fazer menos barulho? -Chris me olhou sorrindo, e April me olhou escondida por Christian me olhando envergonhada. Virei as costas e sai andando.

Christian P.V.O's

-April pega o controle por favor? -Eu disse pra ela que saia do banheiro, fora lavar seu rosto, por que, segundo ela estava horrível, besteira! Ela estava linda. Ela se deitou encostada em meu peito e eu liguei a tv, passava algum filme chato eu não prestava atenção, April dedilhava sobre meu peito, e eu brincava com algumas mechas de seu cabelo, o meu sorriso era eminente.

-Já lhe falei que esta maravilhosa, assim, usando minha camiseta? -Ela sorriu. -Você é perfeita! -E mais sorrisos, poderia continuar falando e falando, só para ver esse sorriso em seu rosto que era o motivo do meu.

-Já lhe falei que tu é o namorado que sempre quis? -Um sorriso surgiu em meus lábios, só de saber que eu estou fazendo a coisa certa dessa vez. Não me importa se todas as outras estavam erradas, isso, ela e eu juntos, nisso eu nunca tive tanta certeza de estar certo e ao mesmo tempo tanto medo de estar errado. Ela se tornou a coisa certa no final.


HEY SEXY LADYS!

WHATSZUP?

Primeiro vergonha mode on!
Velho me matem eu deixo, na verdade eu quero me matar MASOK!
Vacilei legal, bonito, vacilada master a minha, eu sei e eu já fiz um capitulo meio grandinho, tudo bem que ele ta paradão,  MAS PREPAREM-SE que ai vem BARRACO! nem gosta de barraco né dona Beatriz?
Masok Então você querem me xingar? pode xingar eu deixo. ENTÃO QUEM VIU O BAG DA BT QUE VEM PRO BRASIL!
Eu vou ter que rodar a baiana pra conseguir ir mas eu vou nessa porra! alguém quer bala ai? 50 centavos uma bala, 50 reais duas então vamos fazer vaquinha e comprar de pares a bala da tia bia?
Nossa tia bia que horrível, meus sobrinhos vão poder me chamar de tudo menos tia bia nossa fica MUITO PODRE!!!!!

xENTE eu bem que queria responder você mas vou fazer trabalho, então depois eu respondo ok?
MAS OBRIGADA PELOS COMENTÁRIOS BABYS!

3 COMENTÁRIOS HEIN? HEIN?